Blockchain é um banco de dados que fica na internet para armazenamento, de forma pública, de informações. Ele foi criado para distribuir a informação de forma transparente e auditável, uma vez que seu registro inicial não pode ser alterado.

As informações constantes nele são armazenadas de forma sequencial, utilizando um código criptográfico, sendo que cada alteração nas informações inicialmente registradas cria um novo código, deixando todo o histórico de mudanças registrado.

Nesse sentido, existem áreas nas quais o blockchain certamente traz benefícios e resolve problemas de confiabilidade, porém depende do nível de digitalização dos dados.

Com o blockchain é possível tokenizar, ou seja, transformar em ativo digital o registro de imóveis e outros bens, contratos, moedas, entre outros. No entanto, é necessário um arcabouço legal e jurídico para garantir a posse desses ativos.

Além disso, o registro de documentos no blockchain garante que os dados anteriores não sejam indevidamente alterados, ou seja, que um contrato, por exemplo, não sofra modificações sem as partes saberem. Para isso existe um código de verificação, sendo que qualquer mudança mínima do conteúdo gera um novo código, invalidando o arquivo anterior.

Por fim, as principais características do blockchain são: confiabilidade, segurança e agilidade para alguns processos.

Ainda tem dúvidas sobre este tema? Deixe o seu comentário neste post, será um prazer orientá-lo(a)!

Nogueira e Tognin, fundado em 1995, sendo atualmente referência no Direito do Trabalho e na assessoria e consultoria preventiva na gestão de pessoas e empresarial.

Por: Gabriela Rodrigues

Advogada Civilista

CategoryCivil, Empresarial
Tags
Escreva um comentário:

*

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Elaborado por 3MIND - especialistas em marketing jurídico.