De acordo com o artigo 482 da CLT, abandonar o emprego constitui em falta grave, dando consequência a uma rescisão por justa causa, já que a prestação de serviço é essencial para o contrato de trabalho.

Porém, quando se trata de declarar o abandono do trabalho, a legislação não expõe especificamente nenhuma regra, então, de forma geral, se o colaborador se ausentar por 30 dias consecutivos sem justificativa, fica caracterizado o abandono.

No decorrer desse período, o empregador deve tomar conhecimento de algumas obrigações que sua empresa deve cumprir quando se trata de abandono de trabalho, uma delas é a publicação de um anúncio em jornal local, solicitando a apresentação do funcionário. Outro caminho a seguir é o envio de uma notificação para o funcionário, alertando para uma possível demissão por justa causa. Além disso, também tem a notificação através de cartório, com comprovante de entrega.

Já que o abandono gera demissão por justa causa, o empregado perderá alguns direitos trabalhistas, como por exemplo o recebimento de aviso prévio, férias proporcionais e multa de 40% sobre o FGTS. Sem contar que o funcionário não poderá sacar o FGTS, nem receber o seguro-desemprego.

Dúvidas sobre o assunto? Entre em contato com o nosso time de especialistas, será um prazer orientá-lo!

Fale conosco através dos telefones (19) 3805-4434, Whatsapp (19) 97111-4434 ou clicando aqui: encurtador.com.br/bopzF

Nogueira e Tognin, desde 1995 referências no Direito Corporativo.

CategoryTrabalhista
Escreva um comentário:

*

Seu endereço de e-mail não será publicado.

Elaborado por 3MIND - especialistas em marketing jurídico.